Ana Mae Tavares Bastos Barbosa – Palestra e mediação
Graduada em Direito pela Universidade Federal da Pernambuco (1960). Possui Mestrado em Art Education pela Southern Connecticut State College (1974) e Doutorado em Humanistic Education – Boston University (1978). Ensinou na Yale University e na The Ohio State University. Foi pesquisadora visitante da University of Central England, da Universidade do Texas e da Columbia University. Recebeu a Comenda Nacional do Mérito Científico do MCT Brasil, o Prêmio Edwin Ziegfield, USA, o Premio Internacional Herbert Read e o Achievement Award pela contribuição e liderança na Arte/Educação nos Estados Unidos, entre outros. Atualmente é professora Titular Aposentada da Universidade de São Paulo orientando Doutorado e Professora da Universidade Anhembi Morumbi.


Ingrid Dormien Koudela - Palestra e Mediação
Ingrid Dormien Koudela é uma das professoras pioneiras na área de teatro na educação, sendo iniciadora desta área de pesquisa na Universidade de São Paulo, a primeira instituição brasileira a oferecer programas de Mestrado e Doutorado específicos neste setor. Suas publicações incluem JOGOS TEATRAIS, uma abordagem teórica realizada a partir das propostas de Viola Spolin; BRECHT: UM JOGO DE APRENDIZAGEM, uma análise do teatro didático de Bertolt Brecht, através do qual explora suas relações com Piaget e Spolin e desenvolve a teoria de Brecht sobre a peça didática; e TEXTO E JOGO que vai além de relato e analise de experiências e suas respectivas influências, apresentando o resultado de suas pesquisas na forma de uma metodologia que incorpora fragmentos da dramaturgia brechtiana com princípios dos jogos teatrais.


João Denys Araújo Leite - Palestra
É dramaturgo, encenador, ator, cenógrafo, figurinista, maquiador e iluminador. É professor e pesquisador do Departamento de Teoria da Arte e Expressão Artística, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Possui graduação em Comunicação Visual pela UFPE (1981) e mestrado em Teoria da Literatura pela UFPE (2000). Sua dissertação Um teatro da morte: transfiguração poética do Bumba-meu-boi e desvelamento sociocultural na dramaturgia de Joaquim Cardozo foi agraciada com o Prêmio Jordão Emerenciano, de Ensaio, do Conselho Municipal de Cultura da cidade do Recife em 2002, sendo publicada no ano seguinte, com o mesmo título. Tem publicada, ainda, a Trilogia do Seridó, que consta das peças Deus danado (1993), Flores D América (2005) e A pedra do navio (1979), em edições separadas. Suas encenações mais recentes são Encruzilhada Hamlet, de sua autoria (2009) e Os fuzis da senhora Carrar, de Bertolt Brecht (2010), A Deus, Todomundo, de sua autoria (2014), O canto do cisne, de Anton Tchekhov (2015), Histórias por um fio, de André Filho (2017) Tem experiência na área de artes com ênfase em Teatro, Dramaturgia, Encenação e Artes visuais do espetáculo, atuando sobretudo nos seguintes temas: Literatura e cultura, Dramaturgia brasileira, Teatro em Pernambuco, Bumba-meu-boi, Morte e Teatro, Interpretação e Direção teatrais, Cenografia, Iluminação cênica, Pedagogia do teatro, Metodologias da pesquisa em teatro. Seu foco de pesquisa no último decênio tem sido a dramaturgia de Joaquim Cardozo e a dramaturgia de Hermilo Borba Filho. Atualmente desenvolve pesquisa em Processos de criação dramatúrgica e Composição de textos teatrais.


António Ângelo Vasconcelos - Palestra e curso 12
Professor-adjunto no Departamento de Artes da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Setúbal. Estudou no Conservatório de Música Calouste Gulbenkian em Aveiro. Possui licenciatura em Ciências Musicais e Doutorado em Educação, pela Universidade de Lisboa. Presidente da Associação Portuguesa de Educação Musical (2012-2015). Lecionou música em várias instituições, do ensino básico ao ensino superior. Foi diretor de uma escola profissional, desempenhou funções como técnico especialista no ensino música no âmbito do Ministério da Educação e participou de vários grupos de trabalho relacionados com o ensino de música. Tem desenvolvido trabalho de investigação sobre: a profissão de músico e a formação de professores, as escolas, criatividade e políticas públicas no campo musical.


Cristiane Galdino - Mediação
Professora do Departamento de Música da UFPE. Doutorado em Música - Educação Musical pela UFRGS. Tem experiência na área de Artes/Música, com ênfase em Educação Musical, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de professores; educação musical não-formal; educação musical e etnomusicologia; e formação de professores de música e diversidade.


Florian Vassen - Palestra e Curso 18
Possui formação em Letras (alemão e francês), Filosofia e História nas universidades de Frankfurt, Aix-em-Provence e Marburg. Nesta última, obtém o titulo de Doutor, em 1970. Foi professor assistente na Universidade de Gießen e, desde 1982, é professor de Literatura Alemã na Universidade de Hannover. Diretor do Centro de Pedagogia do Teatro (Arbeitsstelle Theater/ Theaterpädagogik), cofundador e coeditor do Jornal de Pedagogia do Teatro (Korrespondezen: Zeitschrift für Theaterpädagogik), foi professor convidado na Universidade de São Paulo em 1996. É ainda colaborador da Associação de Pedagogia do Teatro (Gesellschaft für Theaterpädagogik). Seus principais temas de pesquisa são: Teatralidade, Teoria e Prática da Pedagogia do Teatro, Escrita e Imagem, Bertolt Brecht, Heiner Müller, Teoria do Riso, Sátira e Caricatura.


Igor de Almeida da Silva - Mediação
Professor da graduação em Teatro (Licenciatura) do Departamento de Teoria da Arte e Expressão Artística da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Doutor em Artes Cênicas pela Universidade de São Paulo (2014), com período sanduíche na Université de la Sorbonne Nouvelle - Paris 3. Mestre em Letras (2007) e licenciado em Educação Artística (2003), com habilitação em Artes Cênicas, pela UFPE. É autor do livro Réquiem à infância: um estudo sobre Um sábado em 30 e Viva o cordão encarnado, de Luiz Marinho (Recife: Bagaço, 2009); co-organizador das publicações A língua dos três pppês: poesia, política e pedagogia, em parceria com Antonio Cadengue (Recife: SESC Pernambuco, 2012), e Ação cultural: arte, educação e política, em parceria com Rudimar Constâncio (Recife: SESC Pernambuco, 2014). Colaborou no Léxico de Pedagogia do Teatro (Orgs. Ingrid Dormien Koudela e José Simões de Almeida Júnior. São Paulo: Perspectiva: SP Escola de Teatro, 2015) com os verbetes “Cultura Popular”, “Brincadeira” e “Brincante”.


Cláudio Lacerda - Palestra
Cláudio Marcelo Carneiro Leão Lacerda (Cláudio Lacerda) é coreógrafo, dançarino, professor e pesquisador. Professor Adjunto do Departamento de Teoria da Arte e Expressão Artística da Universidade Federal de Pernambuco (2010-). Doutor em Artes Cênicas (2018) pela Universidade Federal da Bahia (orientação: Ciane Fernandes). Possui o Professional Diploma in Dance Studies (1998) e o Independent Study Programme Certificate (1999) pelo Laban Centre, Londres (RU). Diretor do grupo Cláudio Lacerda/Dança Amorfa (1998-). Autor dos livros Representações de Masculinidade na Dança e no Esporte: um olhar sobre Nijinsky e Jeux (2010) e Pesquisa Trilogia da Arquitetura Desconstrutivista (2011). Mais informações em: www.claudiolacerda.blogspot.com.


Gal Martins - Palestra e Curso 07
Artista da Dança, Atriz, Arte Educadora e Gestora Cultural. Pesquisadora de danças negras e diásporicas a 20 anos e futura Cientista Social. Em 2002 cria a Cia Sansacroma, grupo paulistano de dança negra contemporânea que possui uma atuação artística e política no extremo sul de São Paulo, tendo como ponto de partida das criações são as poéticas do corpo negro, que circulam na população da cidade de São Paulo a qual a companhia chama de indigenordestinafricana. Atuou como Produtora Cultural e Coordenadora do Núcleo de Artes do Corpo da Fábrica de Criatividade, além de coordenar o projeto Educar Dançando do Balé da Cidade de São Paulo. No ano de 2011 atuou como vice-presidente da Cooperativa Paulista de Dança. Em 2012 coordenou o Programa de Cultura e Lazer da Ação Comunitária do Brasil. Como membro de comissão de análise de projetos participou de duas edições como julgadora de projetos inscritos nos editais de Ocupação da Sala Rennè Gumiel na Funarte São Paulo nos anos de 2012 e 2013. Já atuou como membro da comissão das 14ª, 19ª e 21ª Edição do Programa de Fomento a Dança para Cidade de São Paulo. No ano de 2007 recebeu o Prêmio Criando Asas (Red Bull e Instituto Criar de TV e Cinema) pelo projeto: “Imagens de Uma Vida Simples” – espetáculo e documentário abordando a vida e obra de Solano Trindade. Em 2014 recebe o prêmio “Denilton Gomes” na categoria Difusão em Dança. Em 2016 foi eleita uma das 10 personalidades negras do país pelo canal Pretinho Mais que Básico. Em 2017 recebe o prêmio APCA pelo 8º Circuito Vozes do Corpo na categoria Projeto / Programa / Difusão / Memória. Atualmente além do trabalho com a Cia Sansacroma, idealizou a zona AGBARA, projeto destinado a produção em dança de mulheres pretas e gordas. Em janeiro de 2018 assume o cargo de Supervisora Artístico Pedagógica do Programa Fábricas de Cultura em São Paulo, e é membro do Fórum Danças Contemporâneas: Corporalidades Plurais.


Luis Augusto Reis - Palestra e Mediação
Professor e pesquisador do Departamento de Teoria da Arte e Expressão Artística, na UFPE, trabalhando sobretudo nos campos da Pedagogia do Teatro, da Dramaturgia e da História do Teatro. Como dramaturgo, tem escrito peças de marcada feição metalinguística, tais como A filha do teatro, Thy name, A morte do artista popular, O triunfo do realismo e Puro lixo, o espetáculo mais vibrante da cidade. Estuda, em particular, há muitos anos, o legado artístico e teórico de Hermilo Borba Filho, nome central nos processos de modernização da arte teatral no Nordeste brasileiro ao longo do século 20. Como artista-docente, interessa-se, cada vez mais, por investigar diálogos entre a dramaturgia e o ensino do teatro, tendo criado, em parceria com os seus alunos, espetáculos como: E aí, girou?; O mar de Fiote; O jogo da lógica; É verdade, é mentira e, mais recentemente, Tutorial de tudo.


Gabriela Bon - Palestra e Curso 01
Graduada em Artes Plásticas, com habilitação em História, Teoria e Crítica de Arte (2003). Fez Especialização em Museologia e Patrimônio Cultural, 2005. Mestra em Educação (2012), na Linha de Pesquisa Educação, Arte, Linguagem e Tecnologia, com bolsa Capes/Prof. Doutora em Educação (2016), na Linha de Pesquisa Educação, Arte e Currículo, com bolsa Capes DS. Fez Estágio de Doutorado Sanduíche (2015) em Madri, Espanha, com bolsa PDSE da Capes.


Fernanda Pereira da Cunha – Palestra e Curso 04
Fernanda Pereira da Cunha é mestre e doutora em Arte pela ECA/UPS. Coordenadora do curso de Especialização Arte/Educação Intermidiática Digital pela EMAC/UFG. É professora associada da EMA/UFG. Participa do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Música EMAC/UFG. Atua principalmente na área de Arte/Educação Digital. Autora do livro “Abordagem Triangular no Ensino das Artes e Culturas Visuais” com Ana Mae Barbosa pela editora Annablume (2012) e do livro “Técnica e Tecnologia: a indústria ideológica de massa” pela Annablume (2012).


Fernando Azevedo - Mediação
Graduado em Filosofia pela Universidade Católica de Pernambuco (1976), mestrado em Artes pela Universidade de São Paulo (2001) e doutorado em Educação pela Universidade Federal de Pernambuco - UFPE (2014). Professor do curso de Pedagogia na Unidade Acadêmica de Garanhuns da Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE/UAG. Experiência na área de Artes, com ênfase em Ensino de Arte, atuando principalmente nos seguintes temas: arte educação, história da arte educação, educação especial, ensino de arte, formação continuada de professores e inclusão social e cultural, além de Filosofia e Filosofia da Educação.


Ricard Huerta - Palestra e Curso 23
Ricard Huerta es profesor titular de Educación Artística en la Universitat de València (España). Investigador del Instituto Universitario de Creatividad e Innovaciones Educativas. Director de EARI Educación Artística Revista de Investigación www.revistaeari.org Director del Diploma de Especialización Educación Artística y Gestión de Museos. Director de Museari www.museari.com Presidente de AVALEM Asociación Valenciana de Educadores de Museos y Patrimonios. Doctor en Bellas Artes y licenciado en Música, Bellas Artes y Comunicación Audiovisual. Coordinador del Grupo CREARI de Investigación en Pedagogías Culturales (GIUV2013-103). Profesor del Departamento de Didáctica de la Expresión Musical, Plástica y Corporal de la Facultat de Magisteri. Ha participado en proyectos I+D+i: OEPE Observatorio de Educación Patrimonial en España, Habitat sonoro. Miembro del Seminario de Género y Diversidad Sexual de los Museos de Catalunya, y asesor de la Red de Expertos del CEI Patrimonio cultural y natural de las universidades de Andalucía. Investigador invitado con estancias en universidades del Reino Unido, Francia, Italia, Brasil, Argentina, Cuba, Uruguay, Perú, Ecuador, Colombia y Chile, así como en las universidades de Barcelona, Girona, Lleida, Complutense de Madrid, Zaragoza y Santiago de Compostela.


Maria José dos Santos - Mediação e Curso 24
Natural de Maceió-AL, formada em Pedagogia pelo Centro Universitário de João Pessoa - UNIPÊ (2001) Especialista em Psicopedagogia pela Faculdade de Patos – FIP (2003), Mestre em Educação: História, Política, Sociedade, pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo-PUC/SP. Integrante do Núcleo de Estudos Afro-brasileiro da Universidade Federal Rural de Pernambuco (NEAB), Ex-Bolsista do Programa Internacional de Bolsas de Pós-graduação da Fundação Ford. Atualmente é professora pesquisadora da Universidade Federal Rural. E integrante do grupo de Pesquisa GEPERGES.


Carlos Kater - Palestra e Curso 11
Educador, musicólogo e compositor, Doutor pela Universidade de Paris IV – Sorbonne e Professor Titular pela Universidade Federal de Minas Gerais. É autor de mais de 50 textos, entre artigos e livros publicados. Idealizou, coordenou e realizou vários projetos de formação musical, dos quais destaca-se “Música na Escola”, projeto pioneiro no Brasil que levou musica a mais de 120.000 alunos de escolas publicas do Estado de Minas Gerais (1997-2000). Criou em 2013 e dirige até o momento o projeto "A Música da Gente”, ja em varias edições, que promove a criação musical coletiva junto a mais de 4.000 alunos de diversas escolas no Brasil. É Professor Colaborador do Curso de Pós-Graduação em Música, da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo, consultor e parecerista de diversas associações cientificas brasileiras e atua regularmente como educador, conferencista e consultor, ministrando cursos e oficinas dirigidas à "Formação Musical Inventiva" com foco no desenvolvimento humano.


Rosifrance Candeira Machado - Palestra e Curso 02
Rosifrance Candeira Machado é maranhense. Possui Mestrado em Cultura e sociedade pela Universidade Federal do Maranhão, com ênfase em Currículo de Arte na Educação de Jovens e Adultos; Especialização em Arte, Educação e Tecnologias contemporâneas pela Universidade de Brasília; Licenciatura Plena em Educação Artística, com habilitação em Artes Plásticas, pela Universidade Federal do Maranhão. Docente na área de Arte desde 1999, na Educação Básica e Superior. Atuou na formação de professores à distância no Curso de licenciatura em Artes Visuais da UFMA, pelo Programa Pro-licenciatura (MEC- CAPES) de 2008 a 2013. Professora EBTT - IFMA - Instituto Federal do Maranhão. Pesquisadora e Vice Coordenadora do GPTAE- Grupo de Pesquisa em Tecnologias e Arte- Educação do IFMA. Membro da Comissão de Avaliação de Projetos de Extensão da Pró - Reitoria de Extensão/PROEXT- IFMA. Atualmente responde pela Diretoria de Programas e Projetos Institucionais PROEXT- IFMA.


Valéria Vicente - Palestra e Curso 08
Passista, dançaria, pesquisadora e coreógrafa. Mestra em dança e doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da UFBA, é professora de danças populares e preparação corporal do Departamento de Artes Cênicas (UFPB) e pesquisadora do Acervo Recordança (PE). Na prática de dança se especializou sobre o frevo, realizando pesquisas práticas e teóricas que resultaram nos espetáculos de dança: Ebulição (2018), Re/in-flexão(2017), Re-flexão (2016) Frevo de Casa (2014) Fervo (2006) e Pequena Subversão, criação para o programa Rumos Dança, Itaú Cultural (2007). Desenvolve pesquisas que discutem elementos das culturas populares na Sociedade contemporânea, tendo publicado o DVD Trançados Musculares: saúde corporal e ensino do frevo (2011), e os livros Frevo para aprender e ensinar (2015);Entre a Ponta de é e o Calcanhar: Reflexões sobre como o frevo encena o povo, a nação e a dança no Recife (2009); Brincando Maracatu(2008). Fundadora do Acervo recordança, desenvolve e coordena pesquisas que articulam investigação histórica e a cena artística de Recife


Luis Carlos Laranjeiras - Palestra e Curso 15
Ator, diretor teatral, autor/dramaturgo, diretor musical, compositor, cenógrafo, artista plástico, arte-educador, doutor em Artes Cênicas pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, mestre em Filosofia, professor do curso de Licenciatura em Artes Cênicas da Universidade de Brasília e pesquisador do Grupo Multidisciplinar de Estudo e Pesquisa em Arte e Educação da ECA USP. Como autor/dramaturgo, publicou o livro Teatro de Luiz Carlos Laranjeiras pela Giostri Editora/SP em 2015, escreveu Folia da terra, 1º lugar, Entre o céu e a terra, 2º lugar, vencedores do Prêmio Ana Maria Machado de Dramaturgia 2008, entre outras peças. Folia da terra, livro publicado em 2009 pela Editora Autores Associados, Campinas/SP, foi selecionado pela Fundação Nacional do Livro Infanto-Juvenil/Biblioteca Nacional/RJ para a 47ª Bologna Children’s Book Fair 2010 na Itália. Como diretor teatral, assinando também a direção musical e as composições, destaque para As patacoadas de Cornélio Pires, com o Andaime Teatro, A casa de dentro da gente, com a Caixa de Histórias/SP, Sabiás do sertão, com a Cia. Cênica/SP, Guaiá de todos nós, com a Cia. Burucutu/SP, A mulher do dia e Um, dois, três, tá com você, teatro de rua com a Farândola Trupe/SP, Sinhá Rosita, de Garcia Lorca, com o Teatro da Cadela Manca/PR, Tirésias, de G. Apollinaire, com o Teatro Impasse de Mágica/SP, Labirinto de Januário, de Ilo Krugli, teatro de rua com o Teatro do Labirinto/SP, Ser Tão Seco com o Coletivo dos Anjos/SP e Eu sou eu, Anne Frank, com o Alumiah Teatro/SP.


Fred Nascimento - Palestra e Curso 09
Mestre em Artes Cênicas pela UFRN [2012]. Especialista em Artes Cênicas pela UFPE [1991]. Graduado em Ed. Artística - Licenciatura Plena em Artes Cênicas pela UFPE [1983]. Professor-performer de artes cênicas, encenador, músico, pesquisador da performance em suas diversas formas e sua influência nas outras linguagens. Dirige o Totem desde sua fundação em 1988, grupo de teatro performático, que trabalha nas fronteiras entre o teatro a dança, a performance e o ritual. É professor do Curso de Pós-Graduação em Sociodrama e Psicodrama da Faculdade ESUDA, do Curso de Pós-Graduação em Cultura Pernambucana da FAFIRE-PE, do Curso Profissional de Teatro da EMAJPE atuando no Curso Profissional de Teatro, onde coordena o Laboratório de Aprofundamento Cênico e a Mostra de Artes Cênicas A Porta Aberta. É professor/técnico formador da Secretaria de Educação do Estado de Pernambuco. Membro da Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-graduação em Artes Cênicas – ABRACE.


Marcondes Lima - Mediação e Curso 16
Marcondes Gomes Lima é Mestre em Artes Cênicas (pela Universidade Federal da Bahia) e Professor da Universidade Federal de Pernambuco, desde 1992, onde ministra aulas nas disciplinas referentes aos elementos visuais do espetáculo (Cenografia, Iluminação, Maquiagem e Figurino), no Curso de Licenciatura em Teatro e Licenciatura em Dança. É também encenador, cenógrafo, figurinista, maquiador, ator e bonequeiro, tendo desempenhado tais funções em mais de cinqüenta produções para a cena pernambucana.


Robson Camargo - Palestra
Idealizador e um dos fundadores do Programa de Pós Graduação em Performances Culturais da Universidade Federal de Goiás. Encenador e crítico de teatro. Coordenador do Grupo Maskara de Pesquisa em Dança, Teatro e Performance. Livros Publicados: Os Jogos Teatrais de Viola Spolin, uma pedagogia da experiência, com Karine Ramaldes (2017); Brazilian Theater, 1970-2010 (2015, com Eva Bueno); O Gestual no Teatro: Melodrama, Pantomima e Teatro de Feira (2018, UNB no prelo). Conselhos editoriais: Editora Anthem Press (Inglaterra); Revista Moringa (UFPb). Encenações recentes: A Noite dos Assassinos, de Jose Triana (2018) e Cascando Beckett, uma imagem como outra qualquer, performance sobre conto de Samuel Beckett (2017), com o grupo Máskara. Coordenador do GT da Associação Brasileira de Pesquisadores em Artes Cênicas Teorias do Espetáculo e da Recepção (2001-2016).


Vera Lúcia Bertoni Dos Santos - Palestra
Doutora e Mestre em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS); Bacharel e Licenciada em Artes Cênicas pela UFRGS. Professora Associada e pesquisadora vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas – Linha de Pesquisa “Linguagem, Recepção e Conhecimento em Artes Cênicas”; e ao Departamento de Arte Dramática do Instituto de Artes da UFRGS. Coordenadora da pesquisa "Professor de Teatro e Construção de Conhecimento". Líder do Grupo de Estudos em Teatro e Educação (GESTE), do CNPq. Bolsista Coordenadora do Subprojeto de Teatro do Programa Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID/UFRGS). Autora de publicações referentes a aspectos teóricos e práticos do ensino e da aprendizagem do teatro.


Vicente Concílio - Palestra
É ator, diretor e professor da área de Teatro-Educação do Departamento de Artes Cênicas da Udesc, integrando também o Programa de Pós-graduação em Teatro e o Mestrado Profissional em Artes (PROFARTES - Capes) da mesma instituição. É licenciado, mestre (2006) e doutor (2013) em Artes Cênicas pela Universidade de São Paulo. É autor dos livros "Teatro e Prisão: dilemas da liberdade artística" e "BadenBaden. Modelo de Ação e Encenação no Processo com a peça didática de Bertolt Brecht". Desde 2011 é Coordenador da Área de Teatro do Programa de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid – Capes) da Udesc. Atualmente é Coordenador do GT Pedagogia das Artes Cênicas, da ABRACE - Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-graduação em Artes Cênicas (2017-2018). Como diretor teatral,integra o Coletivo Baal, que pesquisa encenação das peças didáticas de Brecht. "Diz que Sim", inspirado no texto "Aquele que diz Sim/Aquele que diz Não", é a mais recente produção do grupo, que estreou em maio de 2017.


Roberto Lúcio C. de Araújo - Mediação
Mestre em Teatro pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da Universidade Federal da Bahia (2010). Licenciado como arte-educador em teatro pela Universidade Federal da Bahia desde 1995. Desde junho de 2013 é professor na área de Pedagogia do Teatro, no Departamento de Teoria da Arte e Expressão Artística do Centro de Artes e Comunicação da Universidade Federal de Pernambuco. Em outubro de 2013, iniciou como Professor Assistente na UFPE. Coordena o Núcleo de Encenação e Formação de Atores (NEFAT) desde 2014. Bacharel em Direção Teatral pela UFBA (1998).


Rinaldo Jodé da Silva - Curso 03
Professor de Arte Formado pelo Curso de Licenciatura em Artes Plásticas da UFPE. Realizou várias exposições dentre elas, Guardada Pupila se Abre ao Luzeiro/ Arte Plural Galeria/ Recife/PE (2016). Luzia dos Olhos Dágua, Protege o que Vejo / Arte Plural Galeria/ Recife - PE. Brasília, eu vi porque fui pra lá/Gal. Objeto Encontrado/Brasília-DF (2011). Limites do Humano/Gal. Dumaresq/Recife-PE (2009). A Mãe da Graça/ Ostello Casale dei Monaci-Ciampino Itália (2007), Donde Ésta La Cabeza De La Mula/Gal. de Arte Tren Ligero/Guadalajara-México (2006).


Renata Wilner - Curso 05
Possui graduação em Licenciatura em Educação Artística com habilitação em Artes Plásticas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1992), mestrado em Artes Visuais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2000) e doutorado em Artes Visuais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2009). Atuou como professora de Artes Plásticas em escolas das redes estadual e municipal do Rio de Janeiro de 1994 a 2009, e como Pesquisadora de Arte na Empresa Municipal de Multimeios MULTIRIO, entre 2007 e 2009. Atualmente é Professora Adjunta da Universidade Federal de Pernambuco e do Programa Associado de Pós-Graduação em Artes Visuais UFPE/UFPB. Foi coordenadora do Instituto de Arte Contemporânea da UFPE de 2013 a 2015, diretora institucional da Federação dos Arte/Educadores do Brasil de 2013 a 2014 e coordenadora do Programa de Licenciaturas Internacionais na UFPE para Artes Visuais e Teatro de 2012 a 2014. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Arte/Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: ensino de Artes Visuais, diversidade cultural, arte contemporânea, mediação cultural.


Adriana Fresquet - Curso 06
Professora associada da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro é membro do Programa de Pós-Graduação em Educação (FE/UFRJ). Coordena o projeto de pesquisa Currículo e Linguagem Cinematográfica na Educação Básica e o programa de extensão "Cinema para aprender e desaprender" CINEAD É membro fundador da Rede KINO: Rede Latino-Americana de Educação, Cinema e Audiovisual. Coordena a coleção Alteridade e Criação da Editora Autêntica e o GT Cinema e Educação da SOCINE.


Iramar Rodrigues - Curso 10
O professor Iramar Rodrigues é professor do Instituto Dalcroze - Genebra/Suíça, nascido no Brasil, cursou música – piano, no Conservatório Musical de Uberlândia e na Faculdade de Artes de Uberlândia, onde foi professor durante alguns anos. Seguiu sua formação no Instituto Inter-­ Americano de Educação da Universidade do Chile onde se tornou especialista em Educação Musical. Foi professor de Didática e Pedagogia da Música no Instituto de Artes da Universidade Federal de Goiás. Atualmente é professor de Rítmica, Solfejo, Improvisão e Pedagogia do Solfejo, cargos que ocupa desde 1975, por concurso no Instituto Dalcroze, Genebra-Suiça. É também professor de Iniciação Musical Método Willems no Conservatório Popular de Música de Genebra e Pedagogia da Rítmica na escola de formação de professores de educação pré-primária. Desde 1974, quando obteve a Licenciatura do Método Dalcroze no Instituto Dalcroze de Genebra, tem participado de vários congressos de Rítmica e Educação Musical e ministrado cursos em vários países, como França, Suíça, Espanha, Brasil, Argentina, Uruguai, México, República Dominicana, Tailândia, como representante do Método Dalcroze.


Vilson Zatera - Curso 13
Pós-Doutor na Universidade Estadual de Campinas Instituto de Artes-IA, nas áreas de violão e acessibilidade computacional em música para pessoas com deficiência visual. Pesquisador convidado do NICS - Núcleo Interdisciplinar de comunicação sonora, Instituto de Artes UNICAMP. Atua na área de musicografia Braille e acessibilidade no Laboratório de Acessibilidade da Biblioteca Central Cesar Lattes da Unicamp e também como docente convidado na área de educação musical e Braille na pós- graduação do IA da Universidade. Atua no projeto "Vendo com as mãos?: Ensino de conceitos de arquitetura e artes para deficientes visuais, na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UNICAMP SP. É Ph.D em Etnomusicologia pela University of Washington, Seattle, WA - U.S.A (2010) e Master in Fine Arts - Música pelo Califórnia Institute of the Arts, Los Angeles, CA-U.S.A (1999). É graduado no Bacharelado em Música (Violão) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1990). É músico e como etnomusicólogo estuda a relação da música com a identidade cultural brasileira. Vilson Zattera tem deficiência visual total desde os 7 anos de idade.


Lucas Gonzaga – Curso 14
Mestrando no programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP) sob orientação da Prof.ª Dr.ª Ingrid Dormien Koudela com quem, em 2012, dividiu a direção do espetáculo "Alegorias Pantagruélicas" a partir de fragmentos do romance "Gargântua e Pantagruel" de François Rabelais (Uniso), onde também se licenciou em Teatro (2011-2013). Aluno especial na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) no Programa de Pós-Graduação em Artes da Cena. Ator, Músico e Maquiador formado pelo Conservatório de Tatuí (1999-2013). Orientador (2015-2017), Monitor (2013-2014), Estagiário (2012) e Produtor (2013-2015) do Programa de Qualificação em Artes da Secretaria de Estado da Cultura. Ator e Produtor do Grupo de Teatro Os Geraldos (Unicamp/Campinas) em que também atua nos projetos formativos responsável pelas disciplinas de "Corpo e Voz", "Música e Ritmo", "Teoria: História e Estética do Teatro", "Técnicas de Palco" e "Interpretação e Montagem" do Curso de Formação de Atores e Curso Intensivo de Formação de Atores. Idealizador e Produtor da 1ª "Incubadora de Grupos Artísticos do Interior Paulista", oferecida através do Governo Federal e do Ministério da Cultura, por meio da Lei Rouanet. Educador social do CPTI Campinas, onde ministra oficinas de teatro para crianças, adolescentes e jovens.


Grupo Mão Molenga – Curso 16
É uma companhia especializada em bonecos e formas animadas, empenhada na pesquisa de linguagem do boneco. Seu trabalho em teatro começou em 1986 e se estendeu ao vídeo a partir de 1991. Atualmente conta com um acervo de mais de 300 bonecos, cerca de 600 figurinos de época e é um dos grupos mais antigos do Estado que mantém formação original e atividades ininterruptas. Nos últimos anos vem realizando apresentações e itinerando com a exposição Mão Molenga – Cenas de Uma História onde mostra parte de seu acervo. Já montou 18 peças com texto original, tendo recebido, por várias vezes o Prêmio APACEPE de Teatro e Dança - em 2012, pelo espetáculo Algodão Doce, em 2011, com O Fio Mágico, em 2007, por Babau - e no Festival de Humor da Cidade do Recife com a encenação “A Escolha de Sufia". Já atuou em eventos e/ou campanhas da Rede Globo Nordeste, Festival Sesi Bonecos, Secretaria de Educação do Recife, 02 Fundação de Cultura Cidade do Recife, Detran, Secretaria de Justiça de Pernambuco, Secretaria de Saúde do Estado / FUSAM, Centro Eulâmpio Cordeiro, Centro de Educação da Universidade Federal de Pernambuco, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Fundação Oswaldo Cruz/Universidade de Pernambuco - UPE, Secretaria de Saúde de Moreno, Diário de Pernambuco/ Programa Leitor do Futuro, Prefeitura Municipal de Diadema (SP), Governo Federal/ Governo de Fernando de Noronha (1988). Para a TV, entre seus trabalhos destacam-se as campanhas do “Festival Sesi Bonecos do Mundo”; atuou nos 30 episódios sobre história do Brasil da série 500 Anos, iniciativa da Fundação Joaquim Nabuco para a TV Escola / MEC.


Fábio Monteiro – Curso 20
Fábio Monteiro nasceu em Recife-PE e perdeu as contas de quantos anos mora em São Paulo. Formado em História pela Universidade Federal Rural de Pernambuco, especializou-se na PUC-SP em História, Sociedade e Cultura e no Ensino de Geografia. Atualmente é Professor de História e Formador de Professores, conta histórias verdadeiras e inventa outras que se tornam verdades por meio da literatura para infância e juventude. Mestrando em Educação pela PUCSP estuda os processos formativos de novos leitores e mediadores de leitura. O autor ganhou o selo Altamente recomendável (FNLIJ) e o Prêmio Jabuti na categoria juvenil com a obra literária Cartas a povos distante, Editora Paulinas, em 2016


Zezo Oliveira – Curso 21
Mestre em Educação pela UNIRIO/Rio de Janeiro/RJ 2012; Assistente de Artes Circenses na Secretaria de Cultura do Estado de Pernambuco/PE desde 2013; Assessor Especial da Secretaria de Cultura do Recife/PE, desde 2013; Diretor de Arte da Cia Contemporânea de Circo/Recife/PE, desde 2013, Ex-Diretor da Escola Nacional de Circo/Funarte 2005/2013; Membro da Federação Rede Circo do Mundo Brasil desde 2015; Ator do Grupo de Teatro popular Vem Cá, Vem Vê´Recife/PE, desde 1980; Fundador da Escola Pernambucana de Circo/Recife/PE em 1996.


Ana Vaz Manso – Curso 22
Bel. em Turismo e Bel. em Direito – UNICAP/PE. Especialista em Administração de Marketing – FCAP/UPE. Especialista em Educação e Gerenciamento Ambiental – FAFIRE. Mestra em Gestão Pública – UFPE. Atriz, Produtora Cultural e Executiva em diversas áreas e projetos desde 1988. Atua como Professora e Coordenadora de Cursos de Extensão , Graduação, Pós Graduação desde 1990 (UNICAP / FAFIRE / SENAC / CEDEPE / FBV / UFPE ) nas áreas de Coordenação Pedagógica, Metodologia de Pesquisa, Turismo, Meio Ambiente, Gastronomia e Produção Cultural. Desenvolve Atividades nas áreas de Teatro, Cinema, Televisão, Artes Plásticas e Literatura.


Alexandre Simão de Freitas – Curso 25
Realizou seu percurso formativo na Universidade Federal de Pernambuco, onde graduou-se em Pedagogia (1997), fez o mestrado em Educação (2000) e o doutorado em Sociologia (2005). Atualmente é Professor Adjunto do Departamento de Administração e Planejamento Educacional (DAEPE) do Centro de Educação e professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE/ UFPE). Coordena o GT 17 - Filosofia da educação da Anped (2013-2017) e a Oficina de Pensamento Poéticas do Cuidado e Ontologias da Resistência. Pesquisa a ética do cuidado de si formulada nos cursos finais de Michel Foucault, no Collège de France, e a crítica anti-utilitarista desdobrada do Ensaio sobre a dádiva de Marcel Mauss. Também mobiliza ações de extensão que aproximam questões educacionais com o campo da comunicação social, com vistas a fornecer visibilidade às pedagogias minoritárias produzidas pelos movimentos e organizações da sociedade, reconstituindo memórias, trajetos formativos e práticas culturais que resistem à captura biopolítica das formas de vida periféricas.


Everson Melquíades – Palestra e mediação
Arte/Educador; Ator; Professor de Fundamentos da Arte/Educação e de Fundamentos do Ensino de Teatro, do Centro de Educação, da UFPE; Coordenador do Programa de Ensino de Arte Casa da Criatividade, do Núcleo Educacional Irmãos Menores de Francisco de Assis (NEIMFA); Diretor da Escolinha de Arte do Recife; Vice-Presidente da Associação Nordestina de Arte/Educadores (ANARTE). Doutor (2010) e Mestre em Educação (2005), pela UFPE; Graduação em Pedagogia (2000), pela UFPE; formação no Curso Normal Médio (1996), pela Rede Estadual de Ensino de Pernambuco. Membro do Fórum Pernambucano do Ensino da Arte na Pedagogia, da Federação de Arte/Educadores do Brasil (FAEB), da Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Artes Cênicas (ABRACE), da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Educação (ANPED), da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), do Centro de Estudo e Pesquisa Paulo Freire, do Coletivo Momos, do Grupo de Pesquisa em Formação de Professores, Arte e Inclusão (GEFAI/CNPq) e do Grupo de Estudo em Artes e Educação (GESTARTES/CNPq)


Dayse Moura - Palestra
Possui graduação em Pedagogia (1996), Mestrado e Doutorado em Educação pela Universidade Federal de Pernambuco. Atualmente é professora Adjunta do Departamento de Métodos e Técnicas de Ensino da Universidade Federal de Pernambuco e coordena o Núcleo de Estudos Afrobrasileiros da UFPE- NEAB. Tem experiências na área de formação de professores(as) com ênfase nos processos de Alfabetização, Educação de Jovens e Adultos e Educação das Relações Raciais.


Graça Elenice Braga - Curso 24 (junto com Maria José)
Formação inicial no magistério, licenciada em História pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP-1993). Tem experiência em arte educação, Juventude coordenou o programa de juventude e cidadania pela Escola de Formação Quilombo dos Palmares- PE e leciona Historia no ensino médio da escola pública. Atualmente é pesquisadora do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros da Universidade Federal de Pernambuco - NEAB/UFRPE. Mestra em Educação, Cultura e Identidades na Universidade Federal Rural de Pernambuco e Fundação Joaquim Nabuco.(2016) Desenvolve temas como: Educação, História, cultura afrobrasileira, juventude e cidadania. É integrante do grupo de Pesquisa GEPERGES .


Vicent Carelli - Palestra
Cineasta e indigenista, Vincent Carelli fundou, em 1986, o Vídeo nas Aldeias: projeto que apoia as lutas dos povos indígenas para fortalecer suas identidades e seus patrimônios territoriais e culturais por meio de recursos audiovisuais. Desde então, coordenou a formação de gerações de cineastas indígenas e produziu uma série de 17 documentários sobre os métodos e resultados deste trabalho, que têm sido exibidos por emissoras de TV e festivais de cinema em todo o mundo. A Arca dos Zo’é (1993), um de seus primeiros filmes, foi premiado em diversos festivais, entre eles o 16º Tokyo Video Festival e o Cinéma du Réel 1994. Em 2009, Carelli lança Corumbiara, grande vencedor do 37º Festival de Gramado, sobre o massacre de índios isolados em Rondônia, primeiro filme de uma trilogia em desenvolvimento, que traz seu testemunho de casos emblemáticos vividos em 40 anos de indigenismo no Brasil. Martírio, o segundo filme desta série, foi lançado em setembro de 2016 e circulou por diversos festivais, integrando a competitiva oficial do Cinéma du Réel 2017 e sendo premiado como Melhor Filme no 31º Festival Internacional de Cine de Mar del Plata e Prêmio Especial do Júri Oficial no 49º Festival de Brasília. Em paralelo à produção e finalização de Adeus Capitão, longa-metragem que encerra a trilogia, Vincent dedica-se à produção de Djunuá, longa que remete ao primeiro contato do diretor com o mundo indígena, aos 16 anos, numa aldeia Xikrin-Kayapó, experiência fundadora na trajetória do cineasta. Produziu, ainda, em colaboração com Ana Carvalho e Tita, O Brasil dos índios: um arquivo aberto, obra comissionada pela 32a Bienal de SP. Atualmente, Carelli é líder do Núcleo Criativo: Cinema Indígena, premiado no Prodav 03/2016 (FSA/Ancine), coordenando o desenvolvimento de roteiros dos cinco projetos abraçados pelo Núcleo, entre séries para TV e longas de ficção e documentário.


Danilo Santos de Miranda
Especialista em ação cultural, é diretor regional do Sesc - Serviço Social do Comércio no Estado de São Paulo. Formado em Filosofia e Ciências Sociais, realizou estudos complementares de especialização na Pontifícia Universidade Católica e na Fundação Getúlio Vargas de São Paulo e no IMEDE - Management Development Institute, de Lausanne, Suíça. Foi Presidente do Comitê Diretor do Fórum Cultural Mundial em 2004 e presidente do comissariado brasileiro do Ano da França no Brasil em 2009.


Jorge Dubatti
Jorge Dubatti (Buenos Aires, 1963) es crítico, historiador y docente universitario especializado en teatro. Doctor (Área de Historia y Teoría de las Artes) por la Universidad de Buenos Aires. Premio Academia Argentina de Letras al mejor egresado 1989 de la Universidad de Buenos Aires. Es Profesor Adjunto Regular (a cargo) de Historia del Teatro Universal (Carrera de Artes, UBA). Es Director por concurso público del Instituto de Artes del Espectáculo de la Facultad de Filosofía y Letras de la UBA. Dirige el Proyecto de Investigación UBACyT "Historia del Teatro Universal y Teatro Comparado: origen y desarrollo del teatro de la vanguardia histórica (1896-1939)". Coordina el Área de Investigaciones en Ciencias del Arte (AICA) en el Centro Cultural de la Cooperación Floreal Gorini. Fundó y dirige desde 2001 la Escuela de Espectadores de Buenos Aires, que cuenta con 340 alumnos. Es Director General del Aula de Espectadores de Teatro de la Universidad Nacional Autónoma de México (UNAM). Ha dictado materias y seminarios sobre historia y teoría teatral, de grado, posgrado, doctorado y postítulo, en diversas universidades nacionales y extranjeras como profesor visitante (Brasil, Colombia, Chile, España, Estados Unidos, México, Perú, Uruguay). Integra la Cátedra Itinerante de Teatro Latinoamericano (CIELA). Integra desde 2015 el Consejo Académico de la Cátedra Ingmar Bergman de Cine y Teatro de la Universidad Nacional Autónoma de México (UNAM). Ha publicado más de cien volúmenes (libros de ensayos, antologías, ediciones, compilaciones de estudios, etc.) sobre teatro argentino y universal. Es responsable de la edición del teatro de Eduardo Pavlovsky, Ricardo Bartís, Rafael Spregelburd, Daniel Veronese, Alejandro Urdapilleta, Alberto Vacarezza, entre otros. Entre sus libros figuran Filosofía del Teatro I, II y III, Concepciones de teatro. Poéticas teatrales y bases epistemológicas, Del Centenario al Bicentenario: Dramaturgia. Metáforas de la Argentina en veinte piezas teatrales 1910-2010 (encargo del Fondo Nacional de las Artes), Cien años de teatro argentino, Teatro-matriz, teatro liminal. Estudios de Filosofía del Teatro y Poética Comparada. Ha recibido numerosas distinciones, entre ellas Premio Shakespeare 2014 (Festival Shakespeare de Buenos Aires y Embajada de Inglaterra) y Premio María Guerrero 2014 (otorgado por la Asociación Amigos del Teatro Nacional Cervantes). Recibió Mención Especial del Premio Nacional en el rubro Ensayo Artístico (que otorga el Ministerio de Cultura de la Nación) por su libro Introducción a los estudios teatrales. Propedéutica de 2012. En 2015 el Rectorado de la Universidad de Buenos Aires le otorgó el Premio a la Excelencia Académica y la Honorable Cámara de Diputados declaró de Interés “la obra del crítico cultural y cientista del arte Dr. Jorge Dubatti”. En 2017 recibió el Premio Konex Periodismo-Comunicación (Premio Diploma al Mérito) en la Categoría Crítica de Espectáculos Teatro-Danza-Cine.


Grupo Totem
O Grupo Totem, dirigido por Fred Nascimento e Lau Veríssimo, foi criado em 1988, e desenvolve uma profunda pesquisa de linguagem, de criação de performances híbridas, atuando em eventos de performance, teatro, dança, artes visuais, etc. Em seu histórico conta com mais de 50 trabalhos, e mantém atividades de formação, entre elas a oficina Corpo Ritual, e também vídeos, exposições e publicações. Entre seus principais trabalhos de encenação performática e/ou espetáculos performáticos estão Retomada, Nem Tente, O Nicho Portal do Imaginarium, Silência, Sob um Céu de Concreto, O Incêndio do Sonho, Caosmopolita, Ânima, Ele Artaud! e Ita. Entre as performances criadas para espaços alternativos e as performances/intervenções destacamos Renascentia Escarlate, Totem Relicário, Corpoema, Mantoparangolé, Cinco Performance em um Ato, Em Nome da Beleza. O Grupo mantém forte atuação em festivais, mostras, congressos, seminários e circuitos alternativos de arte. O Totem é formado por: Fred Nascimento, Lau Veríssimo, Gabriela Cabral, Inaê Veríssimo, Juliana Nardin, Cauê Nascimento (músico) e Taína Veríssimo.


Fran Teixeira
Fran Teixeira É diretora de teatro e artista do Teatro Máquina (Fortaleza-CE). Sua pesquisa aborda principalmente a poética brechtiana, seus modelos de encenação e a dramaturgia das peças didáticas. Investiga processos criativos em teatro de grupo nas interfaces dramaturgia e encenação. Participa dos Programas de Pós-Graduação em Artes do ICA/UFC e do IFCE. É professora da Licenciatura em Teatro do IFCE, curso que atualmente coordena. Lidera o grupo de pesquisa Drama, dramaturgia, cena: questões contemporâneas (CNPq/IFCE) e participa do Grupo Dramatis - Dramaturgia: mídias, teoria, crítica e criação (CNPq/UFBA).


Antonio Edson
ANTONIO EDSON CADENGUE (Curriculum Vitae resumido) Mestrado (1989) e Doutorado em Teatro (1991), na Universidade de São Paulo. Foi professor na Universidade Católica de Pernambuco, na Universidade Federal da Paraíba e é professor aposentado da Universidade Federal de Pernambuco. Como encenador, desde 1975, participou intensamente da cena pernambucana, especialmente com a Companhia Teatro de Seraphim. Autor deTAP: sua cena & sua sombra – 1941/1991 (2 volumes), publicação do SESC Pernambuco e da CEPE – Companhia Editora de Pernambuco. Em 2018, publicou Reinaldo de Oliveira: do bisturi ao palco, para a coleção Memória, da CEPE. Organizou, com Aimar Labaki, A esfinge investigada, publicação da Fundação de Cultura Cidade do Recife, em 2007; com Igor de Almeida Silva, o livro de Jomard Muniz de Britto, A língua dos três pppês: poesia, política e pedagogia, publicação do SESC Pernambuco, em 2012; e com Rudimar Constâncio, Arte/Educação: ecos de resistência na América Latina, publicação do SESC Pernambuco, em 2014.